segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Gotas de Sangue


Escrito em: 01/06/2005.
Revisado em:10/09/2010.
Essas gotas de sangue caem
Como numa chuva fria e passageira
Caem as gotas d'água no solo,
Posso sentir finas gotas de sangue...

Este é meu sangue? Onde me cortei?
Por que eu me machuquei?
A dor veio num instante, veja,
Ainda rolam as lágrimas nos teus olhos...

Mesmo nesta chuva frívola eu sinto a tua dor,
A leve batida de minha melancolia...
Sorrindo ouço sua melodia na constante
Onda desta nostalgia, seria a cotovia?

Ser obtuso que eu tanto odeio,
Deixei marcas profundas no teu seio,
Te arrastei em devaneios...
Tão belo era o teu semblante de pureza.

Agora, estais só, no fim desta tua vida...
Vejo nos teus olhos o meu infortúnio,
E a tristeza que libera em tuas lágrimas,
Ainda assim, gotas de sangue quente vão caindo...

Gotas de sangue caem, enquanto tu choras
E me suplica um pouco de atenção, antes
Que o sol volte a nascer, todavia, eu não
Te estendo a mão, vou deixar-te perecer.

Um comentário:

  1. Muito legal o seu blog! Vim parar aqui por causa dos seus comentários no Cotidiano da Camila. Depois dá uma olhada nos vídeo-contos do meu blog.
    http://fosforilador.blogspot.com/
    bjs!

    ResponderExcluir

Não se acanhe e comente!